GIRLSPT.COM - Cursores Animados
Just A Love (Ever Niley)
Acordei com um sorriso no rosto. Por quê? Decidi na noite anterior que a visita do Billy não seria capaz de acabar com o meu dia. Apenas a ansiedade de contar o que devia para Nick me consumia, fazendo-me contar as horas de forma regressiva para estarmos novamente juntos. Esperaria para conversarmos após o baile. Não queria correr o risco de arruinar a noite, e assim teria mais algumas horas para pensar em como fazê-lo. E para falar a verdade, eu estava eufórica!

Demi: YEEEEEEAAAHHHH! IT’S A PARTY IN THE USA!!! YYYYYEEEEAAHHH!! – Ela passou girando e cantando na minha frente logo cedo.
Eu: De onde tirou essa música? – Falei ao rir.
Demi: Da minha vida, desse belo dia... – Suspirou colocando a mão sobre meu ombro e se ocupando em voltar a dançar novamente em seguida.

O dia foi corrido! Demi estava nervosa, sabe-se lá o motivo! É...talvez seja fácil saber porque. O.o Alguns momentos ela dizia que não queria mais ir e enlouquecia a chorar como uma criança. Joe ligou combinando o horário que passaria para irmos juntos. Nick não telefonou o dia inteiro, fato que estranhei. Mas quem sabe estivesse muito ocupado? Ou ainda, devia estar achando que eu estivesse muito ocupada para atendê-lo. Grande engano!
A hora finalmente estava se aproximando e tinha que me arrumar. Demi passou tanto creme no rosto naquele dia que sua pele devia estar impecável!
Nos dias anteriores também estive em dúvida. Fiz a escolha certa na loja de roupas? Bom, teria que ser a certa! Meus olhos vidraram no vestido branco, tomara-que-caia. A ilusão de faixas brancas deixava-o mais leve e a cor clara realçaria na noite. Mesmo acima do joelho, parte dele arrastava pelo chão e... bem, espero ter sorte com isso! Um grande laço, meio desajeitado propositalmente atrás e de repente eu tinha um modelo simples e interessante... nada extravagante ao meu olhar. Sandálias incrustadas de brilhantes pedrinhas ainda mantinham o equilíbrio.  Gostava de marcar os olhos acima de qualquer coisa. Pensei em algum penteado, mas... não, deixaria cachos grandes e leves caírem sobre meus ombros. Deveria estar perfeito, e quem sabe, logo eu poderia ter a certeza.

Mesmo tudo pronto sempre tenho a impressão de estar faltando alguma coisa quando a campanhinha toca. Deixei a impressão de lado e desci as escadas, já que ninguém o fez.

Eu: Olá, Joe! – Ele estava com uma roupa formal, terno social preto...hm, Demi gostaria de ver isso.
Joe: Woow! Acho que também tive sorte de ter uma cunhada gata...rsrs Como tá, My? – Disse me cumprimentando com um rápido beijo no rosto enquanto entrava.
Eu: Você terá essa sorte! Rsrs – Que foi? Eles não estavam casados ainda, estavam? Hehe - Estou bem, mas acho que você vai ter que arrancar a Demi do quarto. – Deixei-o decidindo o que fazer logo que olhei mais atrás e vi Nick encostado no carro, braços cruzados e um sorriso sutil no rosto enquanto me via caminhar em sua direção.
Nick: Smile?! – Seu tom soou como um “Olá”.
Eu: Oii... Parece que faz um século que não te vejo! – Brinquei fazendo biquinho e ele estendeu uma mão a qual eu segurei, e puxou-me contra seu corpo, me abraçando levemente pela cintura. Usava terno azul marinho, impecável... ou melhor, eu poderia dizer “um pecado total”, mas crianças podem ler.  – Meu celular não tocou hoje... – Por um instante durante aquele dia fiquei pensando sobre o que havia acontecido ontem para sua mudança de humor repentina, achando que teria alguma ligação com o fato de hoje não nos termos falado ainda. Mas naquele instante ele pareceu perfeitamente bem. Até àquele instante... quando falei ele baixou a cabeça subitamente.
Nick: How... me desculpe por isso. – Voltou a olhar nos meus olhos. Talvez nada houvesse acontecido mesmo. – Você está perfeita! – Ouvi seu sussurro próximo ao meu ouvido, e logo senti o efeito daquilo, um arrepio por todo meu corpo, um sorriso tímido no meu rosto. Imprevisivelmente senti lábios macios tocarem os meus, e correspondi a algo que em um segundo tornou-se tão intenso. É... se eu tinha alguma dúvida sobre estar linda ou não, essa dúvida havia sumido. Separamo-nos antes que Demi e Joe dessem sinal de vida, e posso dizer que fomos bem precisos quanto a isso.
Demi: Não, ele já foi. – Vimos Joe e Demi saindo de casa enquanto ela fechava a porta e eu me afastei um pouco do Nick embora nossas mãos continuassem juntas.
Nick: Smile... precisamos conversar! – Seu olhar tornou-se profundo, e suas palavras com uma medida de ansiedade. Aquela expressão parecia significar mais do que uma “simples conversa” e eu hesitei um pouco tentando compreender o que seria. Mas a lembrança do que eu mesma havia para falar e o sorriso escondido em suas palavras me fizeram seguir em frente com ar inseguro.
Eu: Tudo bem. Também preciso falar com você. Vamos esperar o melhor momento.
Joe: Você não me faz inveja, Nick! – Ele brincou antes de entrar no carro, fazendo Demi dar uma volta em torno de si mesma. Ela estava mesmo linda! Também usava um tomara-que-caia de tecido fino bege que parecia dar voltas em seu corpo. Detalhes um tanto dourados realçavam a pele de morena latina que ela tinha. Parte dos cabelos, tão escuros quanto se pode imaginar, caía sobre o olhar dando-lhe a medida perfeita de mistério. Uma jóia destacava-se pelo brilho enquanto o sapato e a maquiagem eram discretos. Fofa, néah?! ^^ Ela aprendeu bem as dicas de moda.

Eu: Woow! Não fica muito longe, hein Joe?! – Brinquei e todos rimos juntos.

Seguimos para o local marcado. Fui distraída no banco de trás com Nick. Seus dedos brincavam com os meus, seus olhos também estavam concentrados neles e eu achei graça ao perceber tal concentração que em seguida foi direcionada para as ruas pouco iluminadas através da janela. Íamos em silencio, mas Demi e Joe conversavam animados ao som de uma música ambiente, boa de ouvir. Em um determinado ponto Nick voltou sua atenção para mim, mais uma vez. Não falou nada, apenas me encarou por um longo tempo, um olhar distante como se estivesse tentando ouvir meus pensamentos. Um esforço inútil, talvez. A pouca iluminação permitia-me ver seu rosto apenas parcialmente. Olhei em seus olhos profundamente como se tentasse descobrir o que ele não dizia, mas num relance ele virou o rosto, um pouco assustado... algo que não entendi. Tentei até. Mas chegamos ao nosso destino.

< ... >

Era perfeito. Nunca imaginei que uma festa com a escola poderia ter um ar sofisticado e ser divertido ao mesmo tempo. Uma decoração à base de luzes, brancas e coloridas, principalmente onde ficava a pista de dança. Um palco montado ao fundo com cortinas de aspecto moderno e em algum lugar as cores que representavam a escola estava presentes. O lugar já estava cheio, e pelo que sei de bailes de formatura, a cerimônia fica do meio para o final da festa. O espaço era amplo, com mesas, cadeiras. Havia comida, bebidas. Olhando de lado vi diversas saídas para jardins ou ambientes alternativos. 

Eu: Onde a Sel deve estar?
Demi: Não tão longe! Vem, quero dançar!! – Ela arrastou Joe, que foi por livre e espontânea pressão, perdendo-se no meio de tanta gente. Nick parecia estar se divertindo mais neste ponto. A batida da música já havia tomado conta dele visivelmente, seja pelo movimento das mãos ou da dublagem que fazia da música.  O que ouvíamos não era lento ao extremo, e nem muito agitado.  
Eu: Parece o melhor a fazer agora! – Brinquei com o ar de indiferença e ele riu estendendo-me a mão. Por incrível que pareça fomos parar ao lado de Demi e Joe. Não me pergunte como conseguimos.

Estava divertido, Joe fazia-nos rir com alguns movimentos extravagantes. Nada que o fizesse vergonha... pessoas populares podem fazer todo tipo de coisa anormal que outros,  na pior das hipóteses, apenas não iriam se importar, e ele tinha essa sorte. Pegamos apenas a metade da música e quando terminou um grupo mais próximo da banda bateu palmas e gritou de forma animada.

Joe: Sabe, você devia ir lá e cantar no lugar desses caras. Iria fazer mais sucesso. – Falou dirigindo-se à Demi.
Demi: Já fiz isso lembra? – Ela sorriu ao apoiar seus braços no pescoço dele. Fazia referencia à última vez em que estivemos em uma festa e ela deixou-o “no chão” com a música que cantou.
Joe: Você foi má, garota. Mas, arrasou... – Eu e Nick nos entreolhamos, reviramos os olhos como se eles fossem os únicos. Foi quando ouvimos uma música um pouco mais lenta que a anterior, embora no fundo ainda me fizesse querer dançar. De frente para ele, olhei em volta como se procurasse as notas musicais flutuando por aí... parey/. Uma de suas mãos puxou-me para perto de si, colando seu corpo ao meu, nossas testas se encostaram e os braços dele me abraçavam.
Eu: Gosta dessa? – Perguntei sorrindo com os olhos semi-abertos. Vinha-me à memória a primeira festa em que estivemos juntos. Naquela noite do primeiro beijo, dançamos aquela música. O momento similar trazia de volta a lembrança de cada sentimento presente naquela noite. As incertezas e inseguranças ainda nos separavam, mas a música já nos unia, mesmo naquele instante. (Clique para ler!)
Nick: Uma das minhas preferidas. – Sussurrou ao meu ouvido enquanto dançávamos como na primeira vez. Ele devia saber que isso fazia meu corpo estremecer, e por isso insistiu em fazer.

Mesmo que o tempo passasse, estando ali com Nick, acredito que nada me cansaria. Dançaria para sempre com ele.

< ... >

Nick: Espero que ninguém nos interrompa agora. – Ouvi-o dizer enquanto segurava uma de minhas mãos, entrelaçando-as, depois de um longo silencio no jardim. Eu bebia alguma coisa para passar a sede, e enquanto isso muita gente ainda dançava no salão.
Eu: Por que a preocupação? – Meu tom era divertido.
Nick: Lembra... eu falei que precisávamos conversar. – Ele disse um tanto entusiasmado e então me lembrei do que eu lhe contaria... algo que não me animaria, mas me deixaria totalmente insegura quanto à sua reação. De qualquer forma eu deixaria para contar no fim da festa, talvez na hora da despedida. Não num momento em que as estrelas pareciam sorrir para nós, como agora.
Eu: Ah, é verdade! Então?!
Nick: Tudo bem... – Ele levantou e andou de um lado para outro. Parecia nervoso, e ao mesmo tempo feliz. Poucas pessoas estavam naquele lugar, talvez apenas mais dois casais ao longe.
Eu: Você está me deixando curiosa... rs – Num segundo ele colocou a mão no bolso e, logo que tirou voltou a sentar-se rapidamente ao meu lado. Ele ainda não pronunciara nenhuma palavra, embora parecesse tentar. Com os cotovelos apoiados nas pernas, olhava atentamente para as mãos... enquanto “brincava” com algo nelas. Olhei por um instante e pude ver a palheta que ele usava para tocar o violão brilhar entre seus dedos. Por um instante meu coração acelerou, mas logo voltou ao ritmo sob a lembrança de que ele tinha uma idêntica àquela que eu havia guardado. Esse foi o instante em que tive a certeza de que tudo conspirava para que eu lhe contasse logo e... tudo bem, meus planos foram adiantados.
Nick: Lembra da história que te contei... sobre a noite que estava com meu tio aprendendo a tocar, estávamos num parque...? Na verdade, eu já sabia tocar. – Riu um pouco. – Você lembra?
Eu: Sim, eu lembro. Nick... – Eu queria saber o que ele tanto queria falar. Mas não suportaria ouvir novamente aquela história sabendo que eu escondia algo sobre ela.
Nick: Espera... lembra disso? – Ele mostrou a palheta metálica com a sua inicial, segurando-a por um cordão fino.
Eu: C-claro. Você a usa para tocar, não?! – Sua insistência começava a me deixar confusa. Surpreendendo-me, Nick negou com a cabeça.
Nick: Não... pelo menos não hoje. Já a usei, muito tempo atrás. – Aquelas palavras pareceram chegar a mim numa velocidade mínima, demorando a serem processadas. Ele pegou uma das minhas mãos, abriu e colocou lá o pequeno objeto e em seguida a fechou... da mesma forma que fez há muitos anos atrás. A sensação de que meu corpo não correspondia a nada foi estranha. Eu não entendia claramente, não conseguia prever sua próxima ação. Parecíamos estar falando em freqüências diferentes. – Você deixou cair, ontem antes de sairmos do colégio.
Eu: Nick... – Estava assustada, eu tentava falar, mas não sabia como e por um instante ele pareceu não me ouvir.
Nick: No inicio achei que eu tinha deixado cair, mas quando me dei conta já tinha a minha guardada. – Falou descontraído e depois desfocou o olhar em direção ao chão. – E só mais uma pessoa podia tê-la. – Foi o instante em que tudo estava claro, para nós dois. Seus olhos, agora profundamente ligados aos meus, tinham o brilho inexplicável que nem de longe os meus tinham. Foi em um segundo que tudo fugiu do meu controle, e não sei como aconteceu. Como se houvessem agulhas em meu corpo eu sentia a culpa doer com sua força mais plena, e o medo me fazer arrepender-me de todos os momentos que tive para contar-lhe e não o fiz. Nem que fossem segundos antes dele. Sua expressão satisfeita, esperando alguma reação minha não ajudou. Eu não compreendia. Minhas mãos estavam geladas, meu corpo tremulo e meu coração descontrolado, impedindo minha respiração. Por que ele parecia feliz em saber? Porque me beijou? Porque dançou comigo aquela noite? Saber daquilo não o tinha afetado tanto? Nesse caso eu respiraria aliviada. Qualquer outra opção não seria sequer “boa”.
Eu: How... quem? – Fiz-me de desentendida e aquilo só aumentou minha culpa.
Nick: Aquela garotinha daquela noite, Miley! – Usou meu nome completo, mas não parecia estar com raiva. Pelo contrario, agora demonstrava euforia. – E... eu não sei como não liguei uma coisa à outra antes, mas o brilho dos olhos dela não morreu nos seus. São exatamente iguais! Eu lembro disso! É um dos poucos detalhes, mas eu lembro... – Sua atitude estranha dentro do carro mais cedo devia explicar isso. Eu não conseguia mostrar entusiasmo. Como falei, meu corpo não reagia ao que eu queria. Era como se eu estivesse impedida de agir de forma errada. Ele percebeu. – Não acha isso incrível?! Você me falou que estava num parque numa noite e não viu mais sua mãe... e agora isso! É como se tudo se encaixasse. – Ele raciocinava só, confuso, andando de um lado para o outro.
Eu: Sim, é incrível... – Falei, num tom sem vida, embora tivesse tentado usar todas as minhas forças. – Está mesmo feliz com isso?
Nick: Como não poderia estar? Você pode ser ela, Smile... – Rapidamente ele estava ajoelhado a minha frente segurando minhas mãos, encarando-me com o leve sorriso e levantou um pouco depois. – Ok, pode ser que não seja. Mas... é como se fosse o destino, como se fosse algo impossível que pode ter acontecido. Você não deve lembrar-se de tudo naquela noite, então não sei como ter certeza... mas... não muda. Quais seriam as chances de termos nos encontrado, e aquela música nos aproximar... a música que eu escrevi sobre ela, pode ter sido sobre você... não pode ser, tanta coincidência não pode ser possível!
Eu: É... – Eu tentava ganhar tempo... ou idéias, sobre o que fazer naquele momento. Algo dentro de mim pressionava-me a contar logo antes que fosse mais tarde do que já era.
Nick: Eu sei que não tenho outra garantia... mas não sente o mesmo pela possibilidade? – Ele falou mais baixo, mas não conseguia esconder o que sentia por saber aquilo.
Eu: Sim! Claro! – Finalmente senti o ar que eu precisava para respirar, mas de certa forma estava descontrolado. Eu parecia ter corrido milhas e milhas.
Nick: Então...
EU: Nick! Por favor. – Interrompi-o, devolvendo-lhe rapidamente a palheta. Achei que sempre tivesse lhe pertencido. Ele voltou a me encarar, talvez estivesse mais confuso que eu. Mas reagia melhor, certamente. Respirei fundo, embora aquilo não desse suficiente coragem para encará-lo. – Eu lembro.
Nick: Do que?
Eu: EU lembro daquela noite. Eu me lembro de você. Não tenho dúvidas de que éramos... você e eu. – Falei um pouco rápido, fechando os olhos e pressionado os lábios nas ultimas palavras, como se estivesse à beira de uma explosão... em todos os sentidos. Apesar disso, percebi que Nick sentou-se ao meu lado. Sua mão passou pelo meu rosto suavemente e, como se o sorriso nos lábios não pudesse ser contido, ele aproximou o rosto ao meu. Não posso entender o que senti, mas no fundo sabia que ainda não estava sendo justa o suficiente.
Nick: Então, tinha mesmo que ser você, desde o inicio. – A forma como se referiu, como a um ‘destino’ não me pareceu a melhor delas. Deveria ser eu a perder parte de mim naquela noite? Deveria ser eu a correr risco de vida? Tudo para que hoje estivéssemos juntos? Seja qual tenha sido seu ponto de vista ao dizer, naquele momento eu não me importava comigo. Levantei rápido antes que seus lábios me tocassem.
Eu: Não! Nick! Você não entendeu! Eu... já sabia desde o inicio. E isso me assustou. Mas achei que fosse passado então guardei pra mim. Soou como algo sem importância. E depois... como um segredo que injustamente escondi de você. Já entendi que devia ter te contado logo, e pretendia fazer isso hoje. – Tive a impressão de que ele só ouviu minhas primeiras palavras. Seus pensamentos pareceram distantes e mais uma vez eu não sabia o que ele sentia com tudo aquilo, mas um peso saiu dos meus ombros naquela noite. Um silencio completo pareceu durar séculos até que ele falasse algo... olhava para o chão, desorientado. No inicio, sua única intenção parecia ser compreender.
Nick: Você soube o tempo todo?
Eu: Sim. Nick, me desculpa. Eu ia mesmo te contar hoje. – Sentei ao seu lado.
Nick: Acha que contando hoje, depois de tanto tempo, faria diferença? – Sua voz saiu baixa, enquanto ele voltou a olhar para mim.
Eu: Achei que fosse melhor do que nunca contar. Fiquei com medo. Não queria que ficássemos juntos por causa do passado. Você pareceu gostar de mim pelo que sou agora, não pelo que aconteceu anos atrás. E eu senti o mesmo. Não queria mudar isso. Além disso, achei que não fosse fazer diferença para você.
Nick: Não achou também que tudo poderia ser melhor se eu soubesse que ‘aquela’ menina estava bem? Eu nunca ficaria com você apenas por obrigação. Eu nunca imaginei um futuro com aquela menina, Miley! – Ele levantou, falando com incredulidade. – Era só uma menina! Eu não te amaria hoje só pelo que aconteceu naquela noite!
Eu: Eu não tinha certeza disso... – Meus olhos começaram a ficar úmidos, e eu tentei disfarçar.
Nick: Como assim? Não tinha certeza? Não acreditou nas vezes que eu disse que te amo?
Eu: Eu acreditei todas as vezes.
Nick: Não parece. Porque isso mudaria se eu soubesse que era você? Não mudaria. Mas eu tenho certeza que você tinha me poupado muita coisa, muito tempo de culpa que senti.
Eu: Eu... sinto muito, Nick! Não pensei por esse lado. – Aceitar o que estava acontecendo estava me assustando mais ainda, aumentando o medo do que estaria por vir. As lágrimas já rolavam pelo meu rosto e eu não podia contornar a situação. Sentimentos assustam e machucam mais do que qualquer outra coisa. Pelo menos, quando são bons podem compensar essa dor. Mas não agora. – Eu só queria que continuássemos felizes como estávamos. Não queria contar e correr o risco de acontecer o que está acontecendo agora. Mas, eu estava errada e quando me dei conta já tinha passado um bom tempo e eu não soube o que deveria fazer.
Nick: Era simples o que você tinha que fazer. Você foi a única capaz de me fazer feliz de novo, depois de tanto tempo. E a única coisa que pensei estar fora do seu alcance foi a inútil culpa que eu sentia. Mas você sabia que até isso poderia ter feito. E não fez. – Olhei em seus olhos, e vi que havia lágrimas lá. Eu podia saber que ele tentava lutar contra elas. - Eu ainda não consigo aceitar o motivo.
Eu: Nick... me desculpa... por favor? Não sei se há outra coisa que eu possa dizer...
Nick: Poderia ter dito. Não percebe que não só deixou de me livrar de uma coisa terrível, como não fez isso apenas porque não acreditou em mim e em tudo o que há entre nós? – Suas palavras me atingiram mais que o esperado. E eu não tinha como provar o contrário. Antes podia jurar que estava pensando em “Nós”, mas agora ele tinha razão... eu estava, na verdade, quebrando uma promessa importante, deixando de confiar em algo verdadeiro e puro.
Eu: Eu nunca tive dúvidas que o que aconteceu entre nós foi tudo de mais perfeito que já existiu. E foi por isso que eu não quis que corresse riscos. Não queria que os verdadeiros motivos de você estar comigo mudassem, e isso significa que eu sempre acreditei no que você sente.
Nick: O que é verdadeiro não muda, e nem acaba, Miley.
Eu: Então... você vai me perdoar? – Meu rosto estava inundado de lágrimas e meu coração afogado nelas. Não podia controlá-las. Eram quentes, cortantes, com o objetivo de me machucarem mais ainda pelo que eu havia feito. E, por incrível que pareça, naquele momento nada que eu podia dizer convencia a mim mesma. Procurava todos os motivos para ele dizer um simples “Sim” e continuar tudo bem. Mas talvez não fosse tão simples. Para mim não era. Poderia esperar que ele estivesse convencido e simplesmente me perdoasse?
Nick: Não sei o que dizer...  Eu te fiz uma promessa naquela noite e não cumpri. Um dia você prometeu que confiaria em mim e não cumpriu. Só consigo pensar que agora “estamos quites”, não acha?! Pelo menos, é assim que dizem por aí... – Seu tom de voz transparecia que não era isso o que ele queria acreditar. Mas era o que aparentemente havia acontecido. Não fui capaz de dizer uma palavra, e nem de conter os soluços que se seguiram que, embora eu tentasse evitá-los, estavam ligados às lagrimas. Nick ainda ficou por alguns segundos. Para mim, estávamos esperando que, milagrosamente, algo nos viesse à mente para salvar aquele momento. Mas não aconteceu. Ele suspirou e saiu dali.

Fiquei sozinha, e era o que eu preferia. Não sei se alguém podia me ouvir chorar. Maquiagem ou a festa não interessavam mais. Eu só podia sentir uma dor que para mim era familiar. Aquela mesma dor que tentei, por tanto tempo, me livrar. A dor de perder outra parte de mim. A única diferença, que não tornava a dor menor, era que agora eu tinha causado tudo. Tive segundos a mais, mas mesmo assim não fui capaz de impedir que ele fosse embora. Eu não podia dizer o que aconteceria dali para frente. Ele ainda voltaria? Minha única escolha era ver meu conto de fadas quebrar como porcelana delicada e valiosa, que poderia ter volta... mas não parecia ser fácil. E não era para ser.

< ... >

Não pude mais ver Nick naquela noite. Não que eu não quisesse, mas não tinha forças para sair de onde havíamos nos separado. Isso durou muito tempo. Foi como se eu acreditasse que deveria esperá-lo voltar ali mesmo. Mas não foi bem isso. Tentando enxugar as lágrimas quase inutilmente, entrei no salão e olhei ao redor. Não o vi. Apenas localizei Joe e Demi distantes de mim. Todos estavam voltados para o palco... e eu não entendi bem o que estava acontecendo. As luzes passando pelo meu olhar úmido refletiam a ponto de incomodar, mas puder ver Selena pulando no palco, comemorando algo e falando ao microfone. Percebi o momento em que ela puxou Taylor de volta ao palco e de repente eles estavam submersos em um rápido beijo que fez com que se ouvissem gritos, palmas e assobios. Pareciam finalmente felizes. Aquilo me alegrou um pouco e deixei escapar um tímido sorriso, que logo foi interrompido quando percebi que Demi me olhava de longe. Tentei sair de lá o mais rápido, mas quando cheguei à entrada percebi que a única forma de sumir dali seria andando, correndo talvez... mas a noite escura, a distancia e o fato de estar sozinha me fizeram mudar de idéia.

Demi: Miley!! – Chegou correndo arrastando Joe pela mão.
Eu: Ah, oi Demi! – Tentei disfarçar.
Demi: Está tudo bem? – Ela parecia ter notado algo fora do normal, mas não devia fazer a idéia da dimensão que isto havia tomado.
Joe: Cadê o Nick?
Eu: Ér... o Nick... ele volta já! Estou esperando... – Não queria falar com ela sobre isso agora. Minha noite foi por água abaixo e eu não me importava exatamente. Mas não arruinaria a noite deles para se preocuparem comigo. E na verdade, eu estava esperando pelo Nick... só não sei por quanto tempo.
Demi: Ahh... ei... – Ela se aproximou e foi difícil esconder a verdade. Sua voz era doce, baixa. - ...você chorou?
Eu: Não, Demi! Quer dizer.... sim. Só emocionada... fiquei feliz pela Selena.
Demi: Verdade! Eu também fiquei! Finalmente eles resolveram o que fazer e ela ainda assumiu em público! Pelo menos um beijo daquele era mais do que assumir, néah! Caramba... -  Num segundo ela estava animada e surpresa ao mesmo tempo.
Eu: Assumiu...? – Perdi alguma coisa?
Demi: Sim, você não viu?!
Eu: O.o Claro que vi! Só estou sendo irônica.
Joe: E então? Que tal você voltar pra lá com a gente?  Nick vai te encontrar lá.
Eu: Acho melhor não... mas vão vocês. Não se preocupem.
Demi: Tudo bem.

Eles saíram andando e mais uma vez por um pouco consegui disfarçar o que eu sentia. Logo eles saberiam tudo, claro. Só espero que, para mim, essa noite não demore tanto para acabar. E ali eu esperaria até o fim, mas mesmo assim eu sabia que ele não voltaria. Não naquela noite.
**********************************
~> Adicional: Quer saber o que aconteceu entre Selena e Taylor neste capítulo? ;) Clique aqui
~> Postado! Capítulo GIGANTEEEESCOOO! Espero que tenham gostado e tido paciencia de ler...  deu um trabalho! Sejam bem vindos ao Universo Alternativo - Ever Niley! haha, parece coisa de cinema! Bom, criei outra página para ostar algumas cenas adicionais que teremos daqui para frente. Espero que gostem de ler também. Se quiser (e houver essa opção) é só clica e ler o que aconteceu com outro personagem durante um capítulo. Ah, em nível de curiosidade: Essa história, Ever Niley, começou a ser planejada por esse capítulo. Depois eu imaginei os outros anteriores. Então foi um capítulo especial, a base de todo o restante da história.

~>Respondendo:
·         Leeh: Primeira! ^^ A Kristen é alguma coisa desse tipo. Ela é Bitch. E ele é sem futuro. ¬¬ haha Brigada amr!
·         Paulinhalovesniley: Obrigada!
·         BLondieCyrus: Postado! ;)
·         Niley e Jemi amigos para sempre: Own brigada amor! Agradeço muito pelo selo, fofa!! AMEI!
·         Daniella: Divulgado! De nada! Obrigada pelo carinho.
·         Gabrielly Potter: CHIQUE! Kkkk amou vc dizendo isso. Pois... Tio Billy bobo. Ah...agora o Nick sabe! Você ainda se deu bem nesse capítulo! MILEY AGAIN, NILEY AGAIN!
·         Mackenzie: Neah! Foi uma idéia de uma leitora, no início do blog. Pensei bem, e vi que fazia sentido. Kkk Postado, baby!                Eu bom que gostou!
·         Niley 4ever: Selo postado! MUITO Obg amor! *-*
·         Niley e Jemi Forevermore: Obrigadaaaa! Postei o selo, obrigada mesmo por tudo! Ah sem problemas, espero que consiga acompanhar. J
·         Tmendre: kkkkk A mãe dela morreu, beibi. Não dava para aparecer! Kkkk Tudo bem, fica em OFF! Orbigada!
·         Téh: AMIGA! Você TEM que me contar como foi esse show! HÁ Sei como é corrido. Kkkkk AMEI essa tua revolta! NEAH! Não é assim que a banda toca! Kkkk A Miley ainda vai falar outras boas pra ele, viu! Ora! Sim, ela achou que tudo estava bem. Mas não estava. Qnada/ AMO teus coments grandes! Me fazem rir tambem! Kkkk Claro, te mando uma msg. Quanto a comunidade, não lembro qual é. O.o hehe ainda to quebrando a cabeça pra entender o Orkut. Acho q tenho q ir na tua casa pra tu me ensinar! Sim, foi seu Big Senior Comentário! Kkkkk
·         Fê Müller: Obrigada pelo carinho! Ah, claro! Só deixar o link, ok?
·         Juliana: Postado! ;) OH MY GOSH! 10 de uma vez????? Assim vc me mata, garota! Kkkkk Morri/ 10 de uma vez! Vou postar logo que possível, ok? MUITO OBRIGADA MESMO! Nem sei o q dizer! Há
·         Lar@: Divulgo sym, amr! Ontem li os cap. De Destiny que estava atrasada..he. AMEI!
xoxoxoxo  

 
Marcadores: | edit post
Está: 
10 Responses
  1. New Says:

    oi Ever, nossa a partir daqui os capitulos anteriores?? UAU O.O
    mas vem amos, convém amos, ficou muuuuuiito booom,um dos melhores, senão o melhor!
    MIL DESCULPAS POR NÃO TER COMENTADO NO ULTIMO, num sei se já estava ou não sem pc, mas perdão.
    mas esse cap valeu super a pena!
    estou super curiosa para aber o que vai acontecer com os niley!
    posta logoooo
    xoxoxoxo =)


  2. Daniella Says:

    ai Deus eu quase chorei de emoçao aki...
    foi triste mais tambem foi muito perfeito
    pelo amor de Deus posta logo


  3. OMG OMG OMG OMG OMG! Eu ainda estou em estado de choque, juro. Meu Deus, eu quero Niley! HAHAHAHHA! O capítulo ta maravilhoso! Eu sei o quanto é difícil arrumar tempo, mas, POR FAVOR, posta logo! Eu já estou pirando aqui! Ta perfeito o capítulo, embora eu tenha chorado! ahhahahahahha
    PARABENS,VOCÊ ARRASA!
    Beijooooooooooos


  4. amei
    posta logo
    por favor


  5. Leeh Says:

    Ooi!!! Que liindo!! Você quer me matar do coração? Tô em choque!!! Não sei de quem eu fico com mais dó: Miley ou Nick?? Mas foi muuito fofo com o Taylor e a Sel!!! Posta logo, por favor, preciso saber se o Nick vai percoar a My (diz que sim, diz que sim...) Sério, eu quase chorei akii... Beijão!


  6. Juliana Says:

    HAHA, só uma pessoa louca que nem eu pra te dar 10 selos né? KKKK sou diva ~joga o cabelo HAUSHAU
    OMG, MEU QUARTO TA ALAGADO. AAAAAAAAAAAAAAAAAAA CHOREI LITROS AWWWWW Séério, no começo eu estava até pensando que o Nick não iria se importar e que ele iria entender a Miles maaaas nãão. :((
    Mas eles se amam né? Niley é FOREVER ♥
    aaaaaah, posta logo ok? omg. o capítulo está divamente, perfeitamente, lindamente, fofamente cute. KKKKKKKKKKK Ignore essas palavras que eu inventei. O.O

    Posta loogo! BEIJO!!


  7. Téh Says:

    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAa
    vc não tava brincando mesmo quando disse que esse capitulo estava ficando bom. Modesta nada, realista mesmo!

    FICOU I-N-C-R-I-V-E-L!*------------*

    Lua vc merece TODO meu Parabéns! Ficou melhor se não O melhor que vc já escreveu. Eu lia empolgada, e fascinada com cada palavra totalmente bem elaborada com as frases impecáveis. Parecia q eu estava lendo trecho d um livro.
    De verdade eu AMEI! E já sabe pra onde vai né? *o*

    shaushu

    OMJ!OMJ!OMJ! Tudo foi revelado! :O
    Sim, o Nick sabe que a My sabia mas q não queria contar pois paracia estar pensando no relacionamento deles, mas no final era por egoismo seu (isso eu concordo em parte, tadinha ela queria o melhor pra ele, mas ao mesmo tempo eu me coloco no lugar do Nick q tava sofrendo por isso e ela não poupou ele logo ai.. ç.ç)

    trite! u_u

    Quase chorei aqui com a dor q a My sentia, tadinha dela. Mas como tudo tem suas consequencias essa foi uma delas.

    Oh, só espero q façam as pazes logo! *-*

    Telena is true! \o/
    Finalmente! Adorei o dialogo complicado q no fim sempre tem sentido!, kkkkkk

    Jemi! *-*
    Fofos, mas vc falou pouco deles bubú/

    Amei as roupas! divas Arrazaram! /apx ;)

    POSTA LOGOOOOOOOOOOOOOO!


    ----



    Como assim o Billy vai voltar? o.O
    ~tensa

    Ai, foi tão legal eu ter passado pro MP4 só lembrei de quando vc fazia isso pra mim, #SaudadeOn :(

    Amiga pq vc não responde minhas msgs? :/

    Ah, venha mesmo. É só combinar q aqui em casa eu te deixo craque no Orkut. ^-^ #PromessadeBandeirante (ok, sempre quis falar isso apesar de não ser uma, :(

    CHEGA!!!!!!!! falei demais, aqui!

    beijos, hasta luego! o/


  8. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    VOCÊ SABE QUE ME MATOU NESSE CAP NÉ? ahuahsuhasus
    muito chique esse cap beibe mother,dessa vez vc arrasou o cap ficou o mais perfeito de todos,hihi,a espera valeu muito a pena viu? hihi,eu choreii,choreii muito,AAAAAA muito lindo *-* Beibe Mother hihi espero ter mais privilégios no prox cap viu?


  9. Maria Helena Says:

    Ameiiiiiiiiii
    Desculpa meu sumiço, mas eu voltei.
    Só tenho uma palavra: lindoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
    bjos, xau


  10. '- Smiley... Says:

    LUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    QUE
    SAUDADES
    EU
    TO
    JA
    PRA
    CHORAR
    DE
    SAUDADES
    );
    to tão sem tempo,só vou poder ler os capitulos que perdi depois de acabar as provas,só vou ter tempo nas ferias,to com tanta saudades de tudo isso,dos caps,da maa,da caa,suas t.t aaaaaain gente vida curel ne D: