GIRLSPT.COM - Cursores Animados
Just A Love (Ever Niley)
Guardei minhas lagrimas até poder entregá-las ao travesseiro naquela noite. Não falei nada a ninguém. Eu ainda podia acreditar que havia sido “apenas” nossa primeira pior briga. Mas que tudo voltaria ao normal no dia seguinte.
Demi estranhou meu silencio. Nada expliquei, só lhe respondi com mais silencio ainda.
Tranquei a porta do quarto, tornando meu mundo inacessível a quem quer que fosse. E no momento em que me senti só, eu só precisava de um toque que enxugasse as lágrimas do meu rosto e um abraço que me mostrasse que tudo ficaria bem. Mas o único abraço que seria capaz disso estava fechado para mim. O dele.
Não sei se seria humanamente possível me martirizar mais ainda. Não estava me fazendo de vitima. Pelo contrario, sabia que foi por minha causa. Em vez de salvar o amor, naquela noite eu o destruí. O deixei em pedaços, um belo cristal quebrado.
Como fui capaz? Não sei. Eu me perguntava, e na cabeça dele devia haver a mesma pergunta. Para ele era como se tudo aquilo mostrasse que eu não me importava com o que ele sentia, e que só pensava em “se eu estou bem, então tudo bem”. Mas não era isso. Nunca seria isso.
A vida havia me preparado para um momento assim, mas eu não aprendi direito. Lembrava quando havia escondido de Selena o que sentia por Nick, e sabia que tudo havia acabado em problemas. E analisando bem, eu só havia repetido o erro. O medo, a insegurança e a falsa certeza de que tudo estava melhor assim.
Aquela madrugada foi o momento em que percebi que ele não voltaria logo.
Durante a manhã seguinte, não havia mais uma gota de lagrima que me restasse. Eu havia chorado em silêncio, entre quatro paredes, sozinha.
Nossa perfeita história agora parecia um livro fechado, sem nada mais para escrever. Um livro que eu mesma havia fechado.
Quanto mais eu pensava no que havia acontecido, mais minha esperança era frustrada. Mais distante estávamos de ser como éramos apenas um dia atrás.
Não tivemos nosso ultimo beijo, porque eu evitei que acontecesse. Não estávamos juntos agora porque eu havia nos separado. Ele não deu Adeus. Mas senti quando seu coração o fez.
Eu poderia ter ido atrás dele. Puxá-lo pelo braço de volta, trazendo-o para próximo de mim, olhar em seus olhos e pedir desculpas. Ele não usaria palavras para responder, mas me beijaria dizendo que me entendia e tudo ficaria bem. Nessa hora começaria a chover e nós voltaríamos a rir, deixando apenas nossas testas coladas enquanto ele me levantaria em seus braços. Mas, não era tão simples assim. Eu sabia onde ele estaria, ou onde poderia estar. Mas, algo me dizia que eu não podia simplesmente ir até lá e pedir desculpas para conseguir tê-lo de volta. E, na verdade, mesmo que eu fosse... não saberia o que dizê-lo.
As batidas insistentes na porta me distraíram por alguns segundos.


Demi: My! Miley! Por que você trancou a porta? Você está acordada???? MILEY! – Abri a porta e a vi impaciente.
Eu: Bom dia, Demi...
Demi: Até que enfim...how...você estava acordada? Fiquei pensando e acho que fiz uma pergunta sem sentido. O.o
Eu: Tudo bem. – Só conseguia pronuncia poucas palavras. E nem me concentrava nelas.
Demi: Ok, falando sério agora. – Ela sentou e me encarou talvez disposta a ouvir. – O que aconteceu ontem?
Eu: Porque a pergunta?
Demi: Eu sei que não está tudo bem. Nick nem voltou conosco ontem! Fala comigo, Miley! – Censurou e eu baixei a cabeça.
Eu: Eu contei tudo pra ele... – Demi tinha um olhar surpreso e embora estivesse com a boca meio aberta quase não conseguiu falar o que queria.
Demi: ...tá, mas... ele entendeu, não é? – Talvez ela já soubesse a resposta, e apenas preferia que eu dissesse o contrário. Mas eu não podia. Neguei com a cabeça já sentindo meus olhos marejarem enquanto levava uma mão à boca.
Eu: Não... ele só foi embora... – Me entreguei novamente aos soluços, eu não podia evitá-los. E agora era como se tudo estivesse acabando de acontecer novamente. Demi se apressou em sentar ao meu lado e me abraçar. Até senti sua mão afagar minha cabeça como uma criança que acaba de se machucar.
Demi: How, My... sinto muito. – Sussurrou. – Mas, não vai acabar assim. Eu prometo... – Sua voz quase não saiu, mas percebi que tinha as intenções de uma amiga única.
Eu: Não me fale de promessas, Demi. – Afastei-me do abraço e falei de cabeça baixa.
Demi: Não pode deixar de acreditar em um amor verdadeiro. Não é uma opção.
Eu: Eu não deixei de acreditar. Não tenho motivos para isso. Eu já sinto falta... de tudo. Dos braços que costumavam segurar meu corpo. Do sorriso tímido e inconstante. Do mistério das palavras, da profundidade de um simples beijo. Eu sinto falta como se estivéssemos milhas distantes há muito tempo. Eu queria voltar para o dia em que nós dançamos na chuva e não havia música alguma tocando e então ele começou a cantar pra mim. Aquela noite em que ele me abraçou e eu senti que nada no mundo seria capaz de me atingir. Queria de volta a noite em que eu tinha pesadelos reais e ele me puxou pela mão para um lugar “seguro” apenas para conversarmos. – Fiz uma grande pausa, pensando em como eu queria de volta tudo aquilo que perdi em uma noite.
Demi: Você não devia querer de volta. Você devia fazer tudo isso acontecer outra vez. – Sorri fraco e logo em seguida, hesitando um pouco, voltei a abraçá-la num completo desespero em busca de apoio, ou algo do tipo.
Eu: Como eu faço isso? – Perguntei fechando os olhos, e sabendo que eu seria capaz de qualquer coisa. O impossível não existiria.
Demi: Eu não sei... mas sei que vocês vão descobrir. – Foi a única coisa que eu não quis ouvir. Mas ela não poderia dizer algo diferente. Inconformada por dentro, voltei a me afastar, e num segundo senti um pingente da pulseira que guardava as memórias de um dia perfeito, ficar preso à blusa de Demi. Num impulso puxei rápido e a pulseira caiu do meu braço. – How... essa não! – Disse tomando-a delicadamente em suas mãos e analisando-a. – Não deixou de ser fofa. Acho que posso dar um jeito nisso.
Eu: Não precisa, Demi. É só uma... pulseira. – Ela poderia jurar que eu estava convencida disso. Mas naquele instante eu lembrei o que aquela simples jóia representava e perguntei-me: Nós estaríamos nos ‘quebrando’ também? O que significaria tudo isso?
Demi: Eu tenho certeza que ela representa mais pra você do que para mim. E eu sei muito bem que não é “só isso”. – Revirou os olhos. – Não tenta fingir que não está tão mal, ok? Não vai enganar ninguém. Mas também não vai adiantar se você só ficar esperando que as coisas se resolvam. Primeiro vem a ação, depois a reação. Então, promete que quando estiver um pouco melhor vai tentar concertar o que aconteceu?
Eu: Você vai acreditar se eu prometer?
Demi: Miley!
EU: Ok,eu... prometo que vou. – Demi segurou minhas mãos enquanto falava e apertando-as com mais força sorriu ao ouvir-me pronunciar aquelas palavras. Uns segundos depois levantou e saiu. 

Eu não conseguia entender sequer os últimos dias. Como eu havia descuidado de um ‘segredo’  no ultimo momento? Essa não era a questão. Era, na verdade, algo que eu já havia errado há muito tempo. E agora, a cena dele indo embora ficara marcada na minha memória. Como se eu pudesse vê-lo distanciar-se de mim milhares de vezes seguidas. Por mais que eu tentasse apagar essa cena da minha mente, ela estava gravada, como eu uma pedra... e dificilmente teria volta.
Perdi a fome, e a noção do tempo. Eu não me importava se, aos olhos de alguém, eu poderia estar sendo boba. Senti que estava perdendo quem eu realmente amava, e não sabia como reagir. Só queria ficar onde estava agora... eu, as memórias e a culpa. Era o preço mínimo. Eu não me importava quanto tempo estava passando, mas eu não tinha escolha se doía na parte mais profunda de mim.
Mesmo sabendo que não faria diferença, resolvi sair do quarto quando ouvi a campainha tocar. Tive súbitas vontades de voltar, e ficar presa nas melhores lembranças. Cheguei à sala e percebi que Demi conversava com alguém próximo à porta. Mal desci o ultimo degrau e vi Joe andar em minha direção e repentinamente me abraçou sem falar nada. Foi bom, embora eu não soubesse o motivo daquilo.

Eu: Joe?
Joe: Devia ter nos contado ontem. – Disse ao se afastar.
Eu: Vocês saberiam logo.
Joe: Você deve estar pensando que eu não sei o que aconteceu mesmo. – Disse baixo, e eu o encarei. Realmente, não imaginei que ele soubesse detalhes. Embora fossem irmãos, achei que Joe só saberia superficialmente da nossa ultima conversa. – Mas eu entendi tudo.
Eu: Sinto muito... – Dei de ombros, meio sem jeito, mostrando que era a única coisa que eu saberia dizer agora. Em seguida, baixei a cabeça novamente, tentando impedir qualquer lágrima que surgisse de cair. Demi aproximou-se, parando ao lado dele. - ...nunca pensei em magoá-lo.
Joe: Hey... – Com uma das mãos ele levantou minha cabeça. - ...eu sei disso.
Eu: Mas ele não. E não sei como fazê-lo entender isso, depois de tudo o que fiz. – Falei enquanto andava em direção ao sofá.
Joe: My... Não vou falar isso só para você se sentir bem. Mas porque é verdade. – Andou e ficou novamente de frente para mim. – Conheço o Nick, e ele é como você: Entende o que está nas entrelinhas, aquelas palavras escondidas. Lembra disso? – Assenti com a cabeça. – Ele não vai precisar pensar muito até enxergar a verdade.

Sorri. Realmente aquilo pareceu um pequeno motivo para sorrir. Joe ainda ficou o restante da tarde conosco, e quando achei que deveria resolvi dar uma volta. Sem destino certo, iria onde meus pensamentos levariam.


<...>

Era estranho o que eu sentia, embora não completamente. O sentimento de que algo não estava completo, a falta, era a mesma que senti anos atrás. Ninguém havia perdido a vida para que me sentisse assim, e eu só esperava não estar “morrendo” no coração dele. O vento soava como sua voz ao meu ouvido, sussurrando. As pequenas ondas que se arrastavam sobre meus pés lembravam seu toque suave em meu corpo. De olhos fechados, senti cada lembrança que faltava e sorri inconscientemente para o sol que esquentava minha pele trazendo a sensação daquele abraço. Eu estava no mesmo lugar em que estivemos juntos um tempo atrás, e naquela tarde, ele segurou minha mão, me beijou com o corpo colado ao meu. (Clique para ler.)

Eu: De que adianta tudo isso? Não é você quem está aqui.

Notei que falava sozinha, dirigia as palavras às figuras inanimadas. Talvez estivesse ficando louca, mas não me arrependi de tê-las pronunciado. Eu sabia que em alguma parte ele também estaria pensando em mim.

<...>

Eu estava dando tempo ao tempo. Não é assim que dizem? Eu não saberia o que dizer, mas mentiria se dissesse que não tenho vontade de correr e procurá-lo até nos lugares onde eu nunca tinha ido. Mas, sabemos que não seria assim tão difícil. Apenas decidi que seguiria dois conselhos: Dar a ele o tempo necessário. Fazer o impossível para “concertar as coisas”, como dizia Demi.
É isso. Só que alguns dias ser vê-lo pareciam uma eternidade. Na esperança de vê-lo chegar correndo a bater na porta e me ver sem nenhum motivo, sentei na janela e fiquei observando através da mesma. Não aconteceria. Mas, se eu tivesse alguma ilusão, eu estaria ali para ver. Foi nesse tempo perdido que comecei a escrever. Nada além do que estava acontecendo. Uma música que eu não sei se um dia iria querer cantá-la, ou sequer tocá-la. Mas os sentimentos estavam ali e eu teria de sofrer todas as vezes que os lesse. Uma música pela metade, sem um desfecho... como o amor verdadeiro, como um sentimento que eu sempre guardaria, um que tem rosas e tinha espinhos, um que não tem fim. E assim ficaria, enquanto eu não fosse capaz de dizer que aquele seria o final da música, o final da história. Enquanto eu dissesse que estava apenas... incompleta.

********************************
~>Ok, prontinho! Capítulo menor que os outros, e super triste. Espero que tenham gostado. #QueroNickDeVolta | Enfim, quem está de volta sou eu! Hehe Sorry mais de 15 dias sem postar. Realmente, estou me acostumando com os novos horários de escrever. Obrigada por não abandonarem o blog! *-* Ah, como eu disse, já respondi os comentários do capítulo anterior e os posts seguintes no ultimo post (clique para ler). Agora, respondendo APENAS os do ultimo post...

~>Respondendo:

·        New: De nada, amor. Você merece!
·        Niley e Jemi Forevermore: Own, obrigada amor! Mesmo não sabendo qual é o selo! Hehe
·        Juliana: kkkkk Não duvido, até fiquei com medo de você se afogar! E sym, você foi a única que me dedicou 10 selos de uma vez! Marcou! Kkkkkkk Diva e Top! Você “meio que morre”? Essa euu quero entender!
·        France Ananias: Oi amr! Sure!!! Divulgo sym! E vou já seguir! Sucesso! **Postado** ^^
xoxoxo






Marcadores: | edit post
Está: 
12 Responses
  1. Anônimo Says:

    Perfeito!*-* adorei, mas triste!!Eu imaginei que a música q ela escreve nesse episódio seja Every rose has it's thorn(que eu sô literalmente apaixonada).
    Mas, parabéns,excelente história!!


  2. Leeh Says:

    Heey!
    Lindo, mas muuito triste esse cap.!!!
    Chorei aquii, fiquei imaginando como Nick tava... Tô doida pra eles voltarem, é muuito triste sem ele!
    Ele vai voltar logo né? Por favor, diz que siim...
    Ansiosa pro próximo cap.,
    Beeijos, posta logo...


  3. Meu Deus que sad!Caramba!Eu contei os dias, 22 dias sem postar!Imagina meu desespero menina!Imaginou?Ok, foi pior!Muito obrigada por seguir, amore xoxo, parabéns!


  4. Mackenzie Says:

    Noossa super triste é muito pouco! Pior é quando ela fala "Nossa perfeita história agora parecia um livro fechado, sem nada mais para escrever. Um livro que eu mesma havia fechado. " Quase choreiii aquii =( qui dó. Mas no fim era verdade ela tinha feito isso mas foi por insegurança... AAAAAAAH as vezes da vontade de entrar na historia e dar uma de cupido e junta o dois! kkkkkk Mesmo estando triste ta lindo e achei tão fofo o apoio da Demi e do Joe aaaawwwnn *-* fofoooos
    Posta logo


  5. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA QUE CAPITULO CHIQUE *-*
    Eu choreii,foi tão tão tão emocionante
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    ansiosa pelo próximo viu beibe? '-' #run
    e quero dar opiniões denovo tá?
    ahushuas


  6. Juliana Says:

    OOOH você é tão profunda e eu sou tão enlouquecida KKKKKK sério, "manola" (KKKKKKKKK)não tenta me entender sabe.... Ao nascer eu bati a cabeça ai eu cresci assim.. esse ser humano totalmente pirado (what?)
    Entãão, morri com o capítulo KKK muito divo viu, owwn eu to chorando aqui aiiiin meu deuusss Tadinho do meu Nick :(( (PS: ele é meu e da Miles, APENAS.) hahahahahaha
    Não liga pra mim tá? sério, eu tenho mentalidade de uma pessoa de 3 anos.. Quer dizer. Uma criança de 3 anos é mais madura que eu KKKKKK
    Enfiiiiiiim, o capítulo está DIVO. Amei mesmo, você precisa escrever um livro viu! haahaha Serei sua fã número um, ou melhor, já sou.


  7. Tmendre Says:

    Ual amore, eu AMEEEI MUITO.
    Você simplesmente me fez mergulhar nos sentimentos da Miley. Sim, vc colocou ai nesse capitulo tudo o que eu estou sentido de verdade. O que realmente me fez ficar mais apaixonada por esse capitulo que tem tanta EMOÇÃO, é impossivel ler e não se edentificar de alguma forma, só quem nunca passou por isso é que não entende. Sério eu estou aqui sem palavras então vou resumir em uma: PERFEITO.
    Amei muito amore *-*
    beijos
    Peace&Love


  8. Omg! Eu chorei lendo... Hahahhahha! Lindo esse capítulo! Adoro capítulos sentimentais *--* hehehehe!
    Ai, fico até animada quando vejo na minha página que você postou! Eu li alguns minutos depois que você postou, mas só comentei hoje porque minha internet estava ( melhor dizendo: É) muito ruim! hahahah! Pelo menos agora os comentários estão carregando!
    Enfim, o capítulo está perfeito! mal posso esperar para o próximo!
    Beijão!


  9. Disney Fics Says:

    OMG!! eu quase chorei lendo!! tadinha da Miley!!a musica que ela escreveu deve ser Before the Storm, ne(amo essa musica!)
    agora POSTA LOGO por favor!!
    bjs


  10. jessica Says:

    Amei o cap achei meio tristinho mas fazer o que. Você tem um selo no meu blog vai lá: http://foreverniley.blogs.sapo.pt/


  11. Téh Says:

    Ai amiga, acho q esse fpi o cap mais triste!
    Nossa quase chorei!
    tadinha da My. ;(
    Espero q a Demi e o Joe ajudem eles a se entenderem logo. e Nick vc não vai encotrar outro amor, como o da My, por ai não.

    É isso! |Tô me poupando, kkkk

    Saudades, best. Beijos *-*


  12. Maria Helena Says:

    Ever, tá muito fofo! Eu quase chorei!!!!! Muito mesmo e não se preocupe, não vou sumir, vou tentar na verdade!
    Bjosss